Dicas para a escolher os revestimentos do seu imóvel

Quem monta ou acompanha a montagem ou reforma de uma casa ou apartamento, vivencia diariamente o desafio de escolher cada detalhe da casa: das cores das paredes, aos móveis e eletrodomésticos. O piso, por exemplo, é para muitos um ponto de interrogação. Como escolher o piso ideal para cada ambiente? O que levar em conta na hora de optar por um revestimento? Cada ambiente do imóvel combina com um determinado revestimento e é preciso considerar esta questão na hora de definir os pisos de cada área. São diversos tipos, cores e tamanhos existentes no mercado e, por isso, a escolha pode ser mais complicada do que parece. Algumas orientações básicas ajudam a esclarecer dúvidas e evitar escolhas inadequadas que possam gerar transtornos.

Entre os diversos tipos de piso estão o laminado, o vinílico, o porcelanato, granito e muitos outros, mas escolher entre eles pode não ser uma tarefa tão simples. Isso porque cada ambiente combina mais com um determinado tipo e, como esse é um investimento que deve durar por anos, fazer a escolha errada pode acarretar em muita dor de cabeça. “A escolha do piso vai variar muito do gosto de cada morador, mas é preciso estar atento a alguns detalhes para não se arrepender.

Não podemos definir um tipo apenas pela estética, também é preciso pensar na funcionalidade. Os pisos de madeira, por exemplo, não devem ser colocados em áreas molhadas, pois não absorvem a água por completo, o que pode causar estragos – a menos que passem por um tratamento adequado para que isso não aconteça. Antes de escolher o piso, portanto, é preciso avaliar o uso que se fará do ambiente. Para que não haja dúvida na escolha temos algumas dicas.

Ambientes quentes

Os quartos, salas e corredores são as áreas íntimas e sociais do imóvel em que, normalmente, as pessoas costumam usar pisos quentes, já que são mais aconchegantes e permitem maior conforto ao circular descalço. Porém, isso não significa que os pisos frios não podem ser utilizados, tudo vai depender da escolha do cliente. As cerâmicas são mais fáceis de limpar e, se o imóvel estiver localizado em uma região mais quente, elas ajudam a refrescar o local.

Existem diversas opções e modelos como os de madeiras, laminado, carpete e vinílico. O laminado, por exemplo, é uma ótima opção para quem quer economizar. Além de ser mais barato, é fácil de limpar e se a manutenção for feita corretamente, eles duram por muito tempo, além disso, alguns modelos possuem o sistema click de encaixe, que permitem uma instalação rápida e sem sujeira.

Já o carpete é uma opção antiderrapante, amortecendo possíveis quedas e não fazendo ruídos. Ele não permite que barulhos de sapatos, por exemplo, ecoem pela casa. Por outro lado, é preciso ficar atento, pois é um material que causa alergia. Cerifique-se sempre se o piso possui componentes antialérgicos antes de finalizar a compra. Ele também é mais difícil de limpar que os demais, e se for usado em um ambiente muito quente e úmido é fácil de juntar mofo e causar mau cheiro.

Outra opção para as áreas quentes da casa é o taco. O piso é versátil e duradouro, porém ele tem um custo elevado e um tempo de instalação mais demorado que os demais. Além disso, se ficar em contato frequente com o sol e água, pode se deteriorar.

Os pisos vinílicos, revestimento que tem um padrão semelhante à madeira ou outros tipos de materiais, vêm sendo muito usado em construções atuais; são práticos na instalação, pois necessitam apenas de cola especial, ou ainda, do sistema de click; e caso o morador queira mudá-lo de local, pode ser descolado facilmente. É um piso que tem alta resistência ao tráfego intenso de pessoas, é antialérgico, absorve ruídos e normalmente não mancha ou risca com facilidade. Além disso, o que utiliza o sistema de click pode ser lavado com água, já os outros modelos de pisos quentes não, pois não têm absorção completa – o que pode estragar o material facilmente.

Áreas molhadas

Os ambientes “molhados”, como cozinha, banheiro e lavanderia são áreas ideais para os pisos frios como porcelanato, granito, cerâmicas e pastilhas. Com uma variedade muito grande de formatos, cores e preços, tipos de revestimentos podem receber grande quantidade de água sem serem danificados.
Um detalhe que deve ser levado em conta é a questão da temperatura. Quem mora em locais muito quentes, pode usar e abusar dos revestimentos frios em toda a casa, pois deixam o ambiente mais fresco. O porcelanato é um exemplo que fica bem em qualquer ambiente, além de ser altamente resistente e de fácil manutenção. Tem sido a opção mais vendida no mercado entre os tipos de pisos frios.

O granito e o mármore também são opções que atendem este fim, sendo muito usados em cozinhas e banheiros. Ambos podem ser encontrados em diversas cores, compondo diferentes projetos de decoração, porém são peças que tem um alto custo, especialmente o mármore. Apesar de também serem duradouros e fáceis de limpar, eles vêm perdendo espaço para os porcelanatos devido à estética. É preciso ficar atento no momento da compra de granitos, em relação a porosidade do material; há pedras que não conseguem absorver a água rapidamente e ficam constantemente com a aparência de manchadas.

As pastilhas, que podem ser constituídas de vidro ou cerâmica, são muito usadas em banheiros e áreas externas, como piscinas. A grande desvantagem é que precisam de muito rejunte, o que facilita o acúmulo de sujeira.

Como vimos são variados os modelos e opções em revestimentos e acabamento para o seu espaço e eles sempre vão variar de acordo com seu estilo e design de acabamento. Pense na sua praticidade e conforto na hora de definir suas escolhas e abaixo veja algumas dicas que podem lhe auxiliar na hora da compra:

  1. Cuidado na escolha dos modelos pelo catálogo ou pelo site. As cores e as texturas nem sempre aparecem iguais.
  2. Antes de definir no orçamento as peças escolhidas, verifique se a loja ou o fabricante tem a quantidade necessáriapara a metragem de sua obra.
  3. A quantidade de pisos e revestimentos deve ser calculada comreserva de 10% a 15% para o caso de perda por corte errado ou para futura manutenção.
  4. Encomende o material com antecedência e programe a entrega dos materiais de acordo com o cronograma da obra.
  5. Confira os produtos no ato da entrega para evitar peças defeituosas, quebradas ou de tom diferente.
  6. Para não ter surpresas desagradáveis, verifique se as caixas dos revestimentos têm número de lote igual.
  7. O consumidor tem até 90 dias para reclamar e pedir a troca de produtos danificados.
  8. Somente comece a obra quando o material básico estiver comprado, recebido e checado.
  9. A base na qual o revestimento será assentado deve obedecer aos padrões exigidos pelo fabricante das peças.
  10. Se sobrar material, há lojas que aceitam a devolução de caixas não abertas. O valor é revertido em crédito para a compra de outras mercadorias.

No momento que for fazer a definição e escolha das peças e materiais para o seu espaço, faça o exercício de estar no ambiente, procure imaginar-se no espaço com aquele determinado acabamento, sinta as texturas e emoções que lhe proporcionarão.

Esperamos ter contribuído com algumas dicas para lhe auxiliar na hora da escolha dos revestimentos do seu imóvel e tornar seu espaço mais aconchegante e mais particular aos seus gostos e toques pessoais. Se quiser mais informações, venha até a Imobiliária Jaeger e converse com um dos nossos consultores.

#vemprajaeger

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s