A importância da imagem pessoal

sunday (2).png

Com esta breve definição podemos avançar na idéia de que no mundo moderno os profissionais bem sucedidos são aqueles que mantêm uma imagem pessoal positiva.
Para tanto usam seu poder pessoal para conquistar seus objetivos, superar os obstáculos, vencer as barreiras e dificuldades do dia-a-dia. Constroem uma base de valor pessoal sólida. Sabem “quanto vale o seu passe”.
Agir com elegância, discrição e, sobretudo, ética é um passo a mais para o sucesso.
Como fazer da imagem pessoal uma estratégia no mundo dos negócios?
A verdade é que hoje para ser eficiente, o marketing pessoal deve ser sutil e inteligente a começar pela aparência. Desfilar grifes, por exemplo, não faz de você um profissional respeitado. O resultado pode até ser o contrario e revelar que, na falta do que falar, você esbanja na aparência.
O que não se pode negar, no entanto, é que o primeiro julgamento é o visual, a partir do visual podemos perceber a que grupo uma pessoa pertence, se é cuidadosa ou não pelo seu penteado, se é calma ou agitada pelo modo de andar, sentar e falar, ou seja, fazemos logo um julgamento de alguém que nem conhecemos.
Se isto está certo ou errado, não sei. O que sei é que cada vez mais é importante cuidarmos da nossa imagem, porque querendo ou não seremos julgados pelo inconsciente da pessoa que nos vê.
No mercado de trabalho a imagem pessoal tem muito valor, não importa ser bonito ou feio, na verdade existe uma grande diferença entre ser bonito fisicamente e ter uma boa aparência. Uma pessoa pode possuir uma beleza física padrão e não ter uma boa imagem pessoal, o que quer dizer que ela pode usar roupas amassadas, cabelos desgrenhados, unhas mal feitas, etc. Já uma pessoa de boa aparência é aquela que pode não possuir uma beleza física padrão, mas tem um bom corte de cabelo, unhas em dia, barba bem feita e roupas em ordem.
“A sua imagem pessoal é o seu cartão de visita.”
A sua imagem pessoal, não é única, ela precisa se adequar a diferentes ocasiões como ao ambiente de trabalho ou lazer, mas sem esquecer-se de você, do seu estilo, do seu gosto, a sua imagem pessoal deve estar sempre adequada e bem cuidada, ela é a embalagem do seu produto.

Fazendo uma analogia entre um produto em um supermercado e nós profissionais, imagine quando vamos às compras e em uma prateleira encontramos um produto com a embalagem amassada, rasgada, mal cuidada, dificilmente a levamos para a casa, compramos a que está do lado, inteira e bem apresentável. Nós profissionais, somos um produto, e o nosso consumidor/cliente são as empresas, que contratam os nossos serviços, mas se a sua “embalagem”, ou seja, seu visual não estiver condizente com o profissional que você está tentando vender, dificilmente será contratado.

O seu produto é você, os seus conhecimentos, habilidades, técnicas e outras qualidades que você possui. A sua embalagem é a sua aparência, o seu visual, é a primeira informação que o seu cliente, contratante ou o interessado em comprar os seus serviços tem de você.

É verdade que a sua imagem pessoal não lhe garante um emprego, um contrato, uma entrevista de negócios, que uma embalagem sem conteúdo não tem muita força, mas sem ela dificilmente terá mais que um primeiro contato.

Como diz a célebre frase de Cícero, o grande orador romano, que dizia “não basta à mulher de César ser honesta, ela tem de parecer honesta”.

Não basta sermos ótimo profissionais, com currículo impecável e um acumulo de experiências invejáveis, precisamos também parecer ótimos profissionais.

 

Para que serve o fiador.

Design sem nome.jpg
O fiador faz parte do contrato de locação como garantia de pagamento ao locador, caso o inquilino (locatário) não cumpra suas responsabilidades. Para ser fiador, a pessoa deve ter imóvel quitado em seu nome, escriturado, possibilitando adição no contrato de locação. Na falta de pagamento do locatário, o fiador tem de honrar esse compromisso e quitar a dívida pendente. A forma mais usual é pagando em dinheiro eventuais débitos. Caso isso não seja possível, inicia-se um processo para penhorar o imóvel do fiador como forma de pagamento. Em alguns casos, se realizada a venda do objeto, é subtraído o valor que o locatário deve e o restante é devolvido ao fiador, dependendo do montante pendente. Por garantir o pagamento, imobiliárias e proprietários de imóveis põem como pré-requisito para o aluguel a existência de um fiador, que evitará que tanto a empresa como o dono do bem locado saia no prejuízo.
Para ser fiador, além de ter um imóvel em seu nome, é preciso que esse bem esteja quitado, e comprovar renda de duas ou três vezes o aluguel para poder arcar com tal despesa caso seja necessário.
O fiador possui direitos que são estabelecidos pela Lei do Inquilinato, garantindo-lhe proteção jurídica. Caso o locador pretenda modificar cláusulas contratuais do aluguel, por exemplo, o fiador tem o direito de abrir mão do compromisso, sem receber penalidade jurídica. Além disso, o fiador pode declarar falência ou total incapacidade de quitar eventuais débitos do locatário, o que lhe garantirá a posse de seu imóvel. Neste caso, o locador precisa substituir o atual fiador ou a forma de garantia oferecida. Algumas imobiliárias e proprietários de imóveis aceitam como garantia a relação do seguro fiança, que é realizado junto a corretoras de seguro.
Se você tem interesse em saber mais sobre fiadores e seguro fiança, venha até a Imobiliária Jaeger, que conta com uma equipe capacitada para lhe prestar assessoria.
#VemPraJaeger

 

ALERTA IMPORTANTE: FIQUE ATENTO AO MUDAR-SE PARA O IMÓVEL ALUGADO!!!

blog-23-02

 

Quando alugamos um imóvel, ficamos com a cabeça cheia de tarefas e acabamos esquecendo de alguns itens básicos para manter nossa segurança nessa transição. A primeira coisa a fazer após pegar as chaves do imóvel é trocar as fechaduras dos seus principais acessos, assim evitará alguns transtornos decorrentes da entrada de pessoas desconhecidas no seu lar.

Ocorre que os imóveis ficam disponíveis em várias imobiliárias da cidade e são muitos os candidatos que pegam as chaves para visitação. Esse processo cria oportunidades para indivíduos de má fé fazerem cópias, aguardando você mudar-se para invadir ilegalmente seu imóvel e furtar seus bens.

Outro motivo é que após ser feita a locação de fato, algumas imobiliárias não atualizam seu cadastro e esquecem de inativar o imóvel, ocasionando a visitação pós imóvel já alugado, podendo você sair para trabalhar e alguém entrar no seu imóvel ou ainda interferir na sua privacidade.

Por isso fica o alerta: “TROQUE AS FECHADURAS” no ato da posse do imóvel que você alugou.

            A Imobiliária Jaeger conta com profissionais para lhe auxiliar sempre que precisar. Sempre que tiver qualquer dúvida, visite-nos!

#VemPraJaeger

Dicas para economizar energia no verão.

CAFE.jpg

O ar condicionado é um dos aparelhos que mais consome energia elétrica e, durante o verão, é um dos principais responsáveis pelo aumento na conta de energia. Para compensar este gasto, é preciso adotar algumas medidas de economia. Confira:

 Ar condicionado

Enquanto o ar condicionado estiver em uso, mantenha janelas e portas fechadas para evitar sobrecarga do aparelho. Um truque para evitar uma noite inteira de ar-condicionado é deixá-lo ligado por cerca de meia-hora antes de ir dormir, de modo a resfriar o quarto. Na hora de se deitar, desligue-o e acione um ventilador. Lembre-se, ainda, de manter os filtros do aparelho sempre limpos. A sujeira impede a circulação do ar e aumenta o consumo de energia.

 Economizando no chuveiro

Às vezes o calor é tão intenso que é possível desligar o aquecimento do chuveiro elétrico e ainda assim tomar um banho morno durante o verão, especialmente no fim do dia, quando a água passou horas esquentando em canos e reservatórios. Se o aquecimento da água ainda for necessário, feche o chuveiro quando estiver se ensaboando e não ultrapasse seis minutos de banho. Use somente a resistência original de seu chuveiro elétrico – gambiarras podem danificar o aparelho, sem contar que exigem mais energia elétrica para fazê-lo funcionar.

 Selo Procel

Ao comprar um novo eletrodoméstico, verifique sempre a classificação do selo Procel e busque pelos aparelhos com tarja A.

 Geladeira e Freezer

Fique atento aos aparelhos de refrigeração, como geladeira e freezer. Evite abrir e fechar a porta da geladeira o tempo todo, mantenha o congelador limpo e livre de gelo na superfície, verifique a aderência das borrachas de vedação das portas e procure instalá-los em ambientes com boa circulação de ar.

 Cores Claras

Pintar as paredes com cores claras ajuda na climatização do ambiente, deixando-o mais fresco.

 LED

Opte por iluminação LED, além de serem mais eficientes que as lâmpadas incandescentes, elas não propagam calor.

 Stand by

Não deixe os equipamentos eletrônicos em stand by, tire-os da tomada após o uso.

 Energia Solar

Instalar um sistema fotovoltaico conectado à rede pode garantir 95% de desconto na conta de energia. Embora seja um investimento mais alto que as demais dicas, o retorno se dá em 5 anos e pode durar até 25 anos, que é, aproximadamente, o tempo de vida útil das placas solares.

Muitas pessoas já conhecem essas dicas, mas não acreditam que implementá-las trará algum retorno significativo. Tente você e veja os benefícios que uma boa gestão da sua energia pode trazer!

 #VemPraJaeger!

 

QUER DEIXAR O AMBIENTE DO SEU LAR MAIS AGRADÁVEL NO VERÃO? CONFIRA ALGUMAS DICAS…

deixe-seu-lar-mais-agradavel-no-verao

 

Para muitas pessoas, verão é sinônimo de sol, piscina…e casa abafada. Além de utilizar ventilador e ar-condicionado, algumas medidas podem amenizar a sensação de calor do seu lar. Confira:

Tapetes e tecidos

Substitua tapetes peludos e escuros por outros de fios curtos e de tons pastel, se for realmente necessário ter peças assim. O mesmo vale para capas de sofás, se o móvel for de um tecido pesado, como camurça e veludo, prefira cobri-lo com um manto fino de linho ou algodão.

Objetos

O excesso de objetos em um mesmo móvel também pode deixar o ambiente mais abafado. Em virtude disso, avalie tudo o que pode ser retirado da decoração, como bibelôs, artigos de madeira e abajures.

Lâmpadas

As lâmpadas de LED não aquecem o ambiente como as incandescentes (cuja venda já foi proibida) e ainda são mais econômicas. Portanto, se ainda tiver alguma fonte de luz com o modelo anterior, troque o mais rápido possível.

Ventiladores

Se você viver em um apartamento, use uma combinação de ventiladores para criar uma boa circulação de ar. Expulse o ar quente ao posicionar um poderoso ventilador perto de uma janela – só não permita que ele tome chuva para não estragá-lo. Além disso, use outros ventiladores próximos de janelas para atrair o ar fresco. Use essa combinação apenas quando as temperaturas externas forem menores que as do interior de seu apartamento. O ar tende a estar mais fresco durante a noite ou em dias nublados.

Evite vapor

Durante o dia, não tome banhos quentes. Certas atividades domésticas – como lavar roupas e pratos ou cozinhar – devem ser deixadas para a noite. Lacre bem os potes com alimentos. Certifique-se de que a porta de fogões, máquinas de lavar e centrífugas estejam livres de defeitos.

Janelas

Feche as persianas. Fechar persianas e cortinas durante o dia irá ajudar a bloquear o calor. Assim que o sol atingir sua casa pela manhã, feche todas as janelas e mantenha todas as portas e janelas exteriores fechadas. Faça isso até o cair da noite, quando o ambiente estiver fresco o bastante para que as janelas sejam abertas novamente.

Pátio

Planeje pátios inteligentemente. Não construa pátios de concreto, pedra ou tijolos e com poucas sombras. Tais materiais refletem o calor do sol contra janelas ou paredes, especialmente nos lados sul ou oeste. Rocha, pedra e concreto também retêm calor por mais tempo do que áreas plantadas quando o sol se põe. Caso viva em um lugar com tal tipo de terreno, plante uma árvore de forma a criar uma sombra que proteja os lados sul e oeste da construção durante os momentos quentes do dia.

Varanda e toldo

Consiga sombras com varandas e toldos. Construa uma varanda de verão no lado sul da casa, onde geralmente há sombras. Os lados norte e leste da casa são, geralmente, os mais quentes e que mais precisam de sombras, então planeje bem a localização de portas exteriores e janelas para evitar o calor. Caso tenha a oportunidade de escolher, prefira um telhado de cor clara. Tais telhados refletem a luz do sol em vez de absorvê-la.

CONDOMÍNIOS SUSTENTÁVEIS

diemDe todas as atividades humanas, uma das que mais geram resíduos e transtornos ao meio ambiente é a construção civil. Projetar condomínios sustentáveis é uma solução inteligente para combater esse “carma” e, ao mesmo tempo, possibilitar aos moradores que residirão ali uma experiência totalmente nova de vida e de se relacionar com o meio ambiente que os cerca.

Os condomínios sustentáveis incorporam elementos simples, mas plenamente eficazes, e são capazes de minimizar sua emissão de resíduos para o meio ambiente de forma decisiva. Com aproveitamento de água da chuva e com a reciclagem da água utilizada pelos moradores, os condomínios sustentáveis conseguem reduzir de forma dramática o seu próprio consumo de água e a necessidade do tratamento de seus efluentes e esgotos. A disposição da construção é pensada de forma a proporcionar um aproveitamento máximo da luz solar como forma de iluminação e do potencial dos ventos locais para a ventilação e diminuição considerável da necessidade da utilização de ar condicionado.

Outro impacto positivo é o baixo consumo de energia elétrica provocado pela utilização de fontes alternativas de geração de energia elétrica ou na aplicação de modernas tecnologias que visem iluminar as unidades e as áreas comuns dos condomínios sustentáveis com lâmpadas de grande eficiência e baixo consumo.

Também, como não poderia deixar de ser, o conceito de condomínios sustentáveis se deve ao aproveitamento e a reciclagem do lixo produzido pelas unidades habitacionais. Com a reciclagem sendo processada no interior do condomínio ou simplesmente executando-se uma coleta seletiva para posterior entrega para uma cooperativa de reciclagem ou a venda para uma usina.

Os condomínios sustentáveis começam a invadir as grandes cidades brasileiras e a multiplicar suas benéficas influências pelas comunidades em que estão instalados. Os exemplos de sucesso e o incentivo potencial em que acabam se constituindo, fazem desses condomínios uma verdadeira mola propulsora da sustentabilidade em comunidades inteiras. A mudança de conceitos antigos arraigados nas mentes de empreiteiros, construtores, operários, engenheiros e arquitetos envolvidos na concepção e na construção dos condomínios sustentáveis foi a grande responsável pelo sucesso da idéia e pela sua ampla aceitação por uma parcela cada vez maior da população das grandes cidades. Tornando-se comunidades eficientes, de baixo impacto e capaz de responderem muito bem a demanda de uso de sua população, os condomínios sustentáveis são um modelo a ser seguido e um excelente modo de minimizarmos os impactos provocados pela construção dessas moradias e sua posterior utilização.

A verdade é que o conceito de condomínios sustentáveis deve ser incentivado e ampliado de forma a abrigar cada vez mais empreendimentos e novos projetos que se proponham a suprir as necessidades ambientais que as grandes cidades demandam e garantir que cada morador será capaz de dar sua contribuição de forma eficaz e simples para uma melhor qualidade de vida das gerações atuais e das futuras.

Os condomínios sustentáveis já são uma realidade em muitas das grandes cidades. Mas, o ideal, é que se espalhassem por todo o país levando uma ideia de que é possível consumir os recursos naturais com responsabilidade e com o devido respeito ao planeta e ao próprio ser humano.

#VempraJaeger.

 

Fonte: ecologia urbana – http://www.ecologiaurbana.com.br/empreendimentos-sustentaveis/condominios-sustentaveis-uma-solucao-inteligente/

DIMOB! Você sabe o que é?

Design sem nome.png

A DIMOB trata-se de um documento feito anualmente para a Receita Federal por empresas do setor de imóveis, onde são informados todos os detalhes das transações realizadas durante os últimos doze meses.

A cada ano, a DIMOB é feita antes da entrega do Imposto de Renda, com seu prazo de entrega geralmente previsto até o último dia de fevereiro.

A entrega da DIMOB é obrigatória para empresas e pessoas jurídicas envolvidas em atividades como comercialização, loteamento de imóveis, operações de aluguel, alienação e sublocação de propriedades de terceiros, assim como atividades de construção, administração e locação de imóveis próprios.

Entre todos os itens que devem aparecer na DIMOB, estão valores de aluguel e condomínios pagos por inquilinos (locatários) aos proprietários (locadores), caso o intermédio dessas operações seja feito por pessoa jurídica, por exemplo.

Desde 2003 a Receita exige a entrega da DIMOB de todas as companhias do setor de imóveis e construção civil, assim como outras empresas que realizaram transações de imóveis construídos ou incorporados com recursos próprios.

A DIMOB deverá ser apresentada pelo estabelecimento matriz, em relação a todos os estabelecimentos, com as informações sobre:

  • As operações de construção, incorporação, loteamento e intermediação de aquisições/alienações, no ano em que foram contratadas;

  • Os pagamentos efetuados no ano, discriminados mensalmente, decorrentes de locação, sublocação e intermediação de locação, independentemente do ano em que essa operação foi contratada.

E se não apresentar a DIMOB?

A não apresentação da DIMOB no prazo estabelecido ou a sua apresentação com incorreções ou omissões acarretará a aplicação das penalidades, definidas no art. 57 da Medida Provisória nº 2.158-35, de 24 de agosto de 2001. Os que cumprirem com incorreções ou omissões serão intimados para cumpri-las ou para prestar esclarecimentos relativos a elas nos prazos estipulados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil.

 

5 principais vantagens em contratar os serviços de uma Imobiliária

DALTON BLOG 21-12-2016.png

Veja as 5 principais vantagens em contratar os serviços de uma imobiliária

São inúmeros motivos pelos quais investir em imóveis para locação tem sido um bom negócio. O crescimento nas grandes cidades faz com que a busca por imóveis seja cada vez maior. E para você que pensa em alugar um imóvel, nossa dica é: contrate uma imobiliária.

No momento em que você está contratando uma imobiliária para cuidar de seus imóveis, você escolhe por comodidadesegurança no recebimento do aluguel, na manutenção do imóvel e evita futuros transtornos. No Brasil, muitos só escolhem o serviço da imobiliária depois de terem tido problemas na locação direta, tais como na conservação do imóvel, atrasos no recebimento do aluguel e até mesmo inadimplências nas contas de água, luz e condomínio.

Ao realizar uma locação direta (ou locação particular), os contratos são realizados sem muitos cuidados e garantias necessárias, enquanto as imobiliárias contam com departamento jurídico. Além desta, existem muitas outras vantagens para você contratar uma imobiliária. Conheça algumas a seguir.

  1. Ao contratar o serviço de uma imobiliária, você não se envolve diretamente com o inquilino, gerando maior privacidade para você.
  2. O controle de documentos, contratos e pagamentos é de responsabilidade da imobiliária, garantindo uma “saúde da locação”.
  3. A rapidez na efetivação da locação é um destaque no serviço da imobiliária devido a ampla divulgação em sites, jornais e estandes.
  4. Não existe uma tabela de valores a seguir para definir o preço do aluguel, a imobiliária realiza uma avaliação adequada para garantir o valor adequado para o seu imóvel.
  5. Duração de contrato, reajuste de aluguel, vistoria e garantias financeiras também são de responsabilidade da imobiliária.

Fonte: https://blog.netimoveis.com/5-dicas-para-evitar-dor-de-cabeca-na-locacao-do-seu-imovel/

O QUE É TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO PARA ALUGUEL?

 

Vitamin Sea.jpg

O QUE É TITULO DE CAPITALIZAÇÃO PARA ALUGUEL?

Diante das exigências das imobiliárias de se apresentar uma garantia locatícia, o título de capitalização pode ser um facilitador nesse momento, pois ele nada mais é que uma forma de “caução” onde o inquilino não tem prejuízos e sim investimento, pois ele poderá resgatar esse valor na sua totalidade no fim do contrato de locação, desde que não haja inadimplência.

Quanto custa o título de capitalização para aluguel?

O custo varia conforme o valor da caução negociada com a imobiliária, mas normalmente é exigida a contratação de um título de capitalização no valor de 6 a 12 vezes o aluguel mensal (encargos, somente em alguns casos).

Se comparado com as demais modalidades de garantia locatícia, o título de capitalização apresenta algumas vantagens, tais como:

Não depender de fiador: É isso mesmo! O título de capitalização substitui a figura do fiador e você não dependerá daquele favorzinho do seu parente ou amigo.

Serve para qualquer tipo de imóvel: É possível utilizá-lo como caução na locação de imóveis residenciais, comerciais, galpões, terrenos, prédios, etc.

A contratação é rápida e simplificada: pois você precisará assinar apenas uma proposta e efetuar o pagamento de um único boleto, que são gerados com dados cadastrais básicos dos envolvidas na locação.

A renovação é automática: ou melhor, a reaplicação é feita de forma automática até o final do contrato de locação. Não sendo necessário que você envie uma nova proposta, nem mesmo que desembolse qualquer valor.

Seu dinheiro de volta no final: Como a maioria dos títulos de capitalização, o de locação também prevê a devolução do valor referente a reserva de capitalização ao final da vigência.

Prazos de vigência dos títulos de capitalização para aluguel

Os prazos de vigência variam entre as diversas empresas de capitalização, mas as principais comercializam títulos com vigências de 12 ou 15 meses.

Neste momento, é importante que você escolha o prazo que vá coincidir com o final do contrato de locação ou aquele que fique mais próximo da data prevista.

Como e quando solicitar o resgate: o seu dinheiro de volta!

O resgate poderá ser solicitado a qualquer momento, mas é preciso cumprir um prazo mínimo, que normalmente é de 1 mês contado a partir da contratação.

Porém, tanto você, enquanto inquilino, como o proprietário precisa estar atento às condições mínimas necessárias para o resgate.

Inquilino

Seja no decorrer como ao final da vigência do título, será necessária que você tenha a autorização do proprietário e da imobiliária liberando a caução. Isso só acontecerá com o fim do contrato de locação ou caso título de capitalização seja substituído por outra garantia.

Proprietário

Só poderá resgatar o título de capitalização se comprovar que você descumpriu com uma ou mais cláusulas estabelecidas no contrato de locação, ou seja, se você ficar inadimplente com o aluguel ou encargos, deixar danos no imóvel, etc.

Se comparado com outras modalidades de caução, o título de capitalização para aluguel apresenta algumas vantagens que podem facilitar e muito a sua vida na hora de alugar um imóvel.

A possibilidade de resgatar o valor desembolsado na contratação ao final da locação pode ser um incentivo e tanto.

No entanto, é preciso levar em conta as situações em que ele não é tão vantajoso. O valor de caução exigido pelo proprietário ou imobiliária, por exemplo, pode ser um banho de água fria naqueles que não dispõem do dinheiro.

Se você não quer depender ou não tem um fiador, ou ainda não quer ter que arcar com um valor que não lhe será devolvido, essa com certeza é uma opção a ser considerada.

Antes de tomar a sua decisão final, avalie também outras modalidades de garantia locatícia.

Contate-nos certamente teremos uma solução para a sua locação.

#VempraJaeger

COMO CALCULAR O REAJUSTE DE ALUGUEL

como-calcular-o-reajuste-de-aluguel

O aumento ou reajuste de aluguel é algo que ocorre anualmente para os contratos de alugueis tanto residenciais quanto não residenciais. O reajuste acontece para que haja a compensação da inflação e dos preços dos alugueis praticados na região.

O reajuste é calculado pelo índice de inflação livremente escolhido pelo locador (quem recebe o aluguel) e pelo locatário (quem paga o aluguel) em contrato.

Os índices mais utilizados na atualidade para reajuste são:

  • INPC: Índice Nacional de Preços ao Consumidor, divulgado pelo IBGE;
  • IPC: Índice de Preços ao Consumidor, divulgado pela FIPE;
  • IGP-DI: Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna, divulgado pela Fund. Getúlio Vargas;
  • IGP-M: Índice Geral de Preços e Mercado, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas;
  • IPCA: Índice de Preços ao Consumidor Amplo, divulgado pelo IBGE.

O índice pode ser trocado, desde que o locador concorde. É preciso que essa negociação seja feita por escrito para que tenha maior segurança.

Qualquer que seja o índice, deve incidir somente uma vez ao ano (na data de aniversário de contrato), sobre valor em real, sendo proibido reajuste com base no salário mínimo. Salvo em situações que há pedido de revisional do aluguel, o que acontece por desejo do proprietário após 3 anos do contrato de locação, em que o mesmo reajusta conforme atualização de mercado.

Vale pontuar que a data de aniversário do contrato é aquela em que o contrato iniciou, não devendo ser confundida com o dia fixado para pagamento do aluguel.