Umidade no inverno: não precisa secar as paredes com toalhas ou papel, apenas areje o ambiente.

Paredes mofadas, bolhas na pintura e roupas com bolor são consequências da umidade, uma das características do inverno gaúcho que não poupa quase nenhuma residência. Certo que a influência das massas de ar polar, mais secas, ajudam a balancear mas não há fórmula mágica para deixar a casa seca durante o inverno.

Pensando na praticidade do dia a dia, este post vem com algumas dicas para auxiliar você a melhorar esta situação no seu imóvel.

Banheiro:

O banheiro é um dos principais afetados quando o assunto é a umidade. Geralmente, o teto fica escuro devido ao mofo. Outro problema são os rejuntes dos azulejos, que também podem acumular fungos. A principal forma de evitar o aparecimento desses inquilinos é ventilar o ambiente. Depois do banho, abra a janela do banheiro para sair o vapor, assim como a porta.

Quem não tem janela no banheiro deve contar com exaustores para tirar a umidade e, de preferência, manter a porta do banheiro aberta o maior tempo possível. Secar as paredes com toalhas ou papel não é necessário.

Caso o mofo apareça, deve-se imediatamente limpá-lo, ou ele pode se espalhar nos rejuntes e no teto. Utilize uma esponja macia com água e sabão neutro. Nos rejuntes dos azulejos, a mesma fórmula funciona. Alvejante e cloro podem ser usados, mas se corre o risco de deixar a superfície amarelada.

Quando o mofo impregnar no material, será necessário tomar medidas mais drásticas, como descascar, lixar e passar produtos impermeabilizantes. Usar tinta antimofo também é uma boa opção.

Cozinha:

Ao cozinhar, o vapor das panelas pode tomar conta do ambiente, principalmente os espaços próximos do fogão. O ideal é deixar as janelas da cozinha sempre abertas durante os processos de cozimento.

Quando o bolor aparecer nas paredes ou azulejos, siga os mesmos procedimentos usados no banheiro – de preferência, uma esponja com água e sabão neutro. Tinta antimofo pode ser usada na casa toda e é uma boa indicação.

Ventilação e iluminação:

Esse é o lema contra a umidade. Abra as janelas da casa e deixe o ar e o sol circular pelas peças pelo menos duas vezes por semana. Assim, há menos chances da umidade se acumular e de aparecerem bolhas, mofos e manchas em sua casa. Não deixe tudo fechado por estar frio.

Para auxiliar no processo, a dica é usar um ventilador nas peças úmidas. Outra boa opção é ligar o ar-condicionado como desumidificador. Com relação as estufas, não é indicado utilizá-las no banheiro, pois a umidade pode levar a curtos-circuitos e gerar acidentes.

Roupas:

Os guarda-roupas fechados em ambientes úmidos podem ocasionar mofo nas peças. Pelo menos duas vezes por semana, é indicado abrir todas as portas do armário por algumas horas para ventilar. Mexa nas roupas e mude os cabides de lugar para ajudar a circulação de ar. Cuidado para o sol não bater diretamente, pois pode desbotar as peças. Dentro do guarda-roupa, deixe um recipiente desumidificador de ambientes (disponível em supermercados).

Se o mofo aparecer, use um pano com vinagre ou álcool para retirar a mancha. Depois, lave normalmente.

Em casacos de couro, a dica é passar uma camada fina de cremes hidratantes ou produtos que dão brilhos em móveis. Assim, há menos chance do mofo conseguir se acumular. Outro cuidado importante é com os perfumes. Não guarde roupas com a fragrância no armário, pois podem estar levemente úmidas e amarelar. Já para secar as roupas no inverno, não há mágica. Estenda no lugar da casa com mais luminosidade possível, geralmente próximo a janelas.

Paredes:

A umidade não ocorre somente nos locais tradicionalmente úmidos, como banheiro e cozinha. Muitas residências sofrem com bolhas e mofo nas paredes das salas e dos quartos. Isso pode ocorrer devido à má impermeabilização no momento da construção, à pouca iluminação ou à falta de ventilação. Se as primeiras bolhas aparecerem, é possível estourá-las e pintar novamente a parede para manter mais um tempo em boas condições – um modo paliativo. Da mesma maneira, o mofo pode ser limpo com esponja, água e sabão neutro em primeira instância – não utilize produtos químicos porque pode-se manchar ainda mais o espaço. Caso o bolor fique impregnado ou as bolhas se multipliquem, é necessária uma intervenção mais drástica.

Uma boa dica é usar texturas na parede, pois demoram mais a deixar a umidade tomar conta e, às vezes, duram por anos.

Tapetes e cortinas:

Se em sua casa bate pouco sol e não há muita ventilação, remova os tapetes. Esses acessórios podem ficar molhados e ajudar no acúmulo de fungos e bactérias. Para não sofrer com a umidade, fuja das cortinas de tecido e opte por persianas.

Fique atento:

O inverno é um período chuvoso e, em função disso, as casas ficam mais suscetíveis a vazamentos. Fique atento a telhas e calhas quebradas em casa e faça uma revisão mensalmente. Muitas vezes, o problema está relacionado com água acumulada em tetos e paredes, e não somente com a umidade do ambiente.

Dicas caseiras que podem funcionar:

– Um saquinho de cravos dentro do armário ajuda a evitar o mofo

– Giz de quadro-negro também pode ajudar a eliminar a umidade do guarda-roupa

– Suco de limão reduz o mofo no rejunte dos azulejos

– Vinagre ajuda a eliminar o bolor das roupas

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/noticia/2015/06/saiba-como-amenizar-os-problemas-causados-pela-umidade-em-casa-4787528.html

Quer vender seu imóvel? Então tenha em mãos a matrícula atualizada.

Diariamente atendemos clientes que chegam até a Imobiliária Jaeger ou nos contatam pelos canais digitais, com a intenção de venda de seu imóvel. O primeiro passo para o cadastramento deste imóvel é a compreensão do bem e visualização de documentação referente ao mesmo. Nossa solicitação é da apresentação da matrícula do imóvel para entender o que está registrado e confirmar a propriedade do imóvel.

Quando alguém diz que “não tem escritura”, tecnicamente quer dizer que não tem registro imobiliário, e isto significa que estamos diante de um vendedor que não é o proprietário. E é válido o dito popular segundo o qual “quem não registra não é dono”, porque propriedade se prova com o registro da matrícula do imóvel.

Quem é proprietário, usa, vende, aluga, reforma, dispõe do imóvel e pode até exigir a sua devolução de quem injustamente o ocupe, enfim, é dono do subsolo e do espaço aéreo e tem o que, na linguagem jurídica, se denomina “direito real”. Já o “promissário comprador”, no caso de um Contrato de Promessa de Compra e Venda, tem o chamado “direito pessoal”, algo que ele sempre poderá defender, é lógico, mas para tal, sempre enfrentará uma série de obstáculos jurídicos e, a cada discussão, precisará mostrar todos os seus documentos e provas, enquanto o proprietário basicamente exibe a certidão do registro imobiliário, isso é tudo. Em suma, o “promissário comprador” está quase lá, mas ainda não detém a propriedade.

E se o “promitente vendedor” sumir ou, por uma razão qualquer, não outorgar a escritura no futuro, vão restar para o adquirente os intrincados caminhos judiciais, demorados e caros.

Antes da compra de qualquer imóvel é necessário a solicitação de uma matrícula atualizada do imóvel para verificar a sua atual situação e se não existe gravame que impeça o registro. Podem ser pedidas também ao vendedor certidões diversas (de feitos ajuizados, cíveis, criminais etc.), que visam principalmente aferir se existe demanda judicial referente ao imóvel adquirido.

Nada impede a negociação “sem escritura”, mas jamais se terá a mesma segurança como quando efetivamente se compra o imóvel, com o registro da escritura no Cartório de Registro de Imóveis.

Nossa solicitação pela documentação do imóvel a ser vendido ou comprado é para que possamos dar totais garantias para ambas das partes envolvidas no processo. Nossos consultores imobiliários darão aos nossos clientes todas as orientações necessárias para que a aquisição seja algo garantido e sem situações de riscos posteriores. Entre em contato conosco, estamos aguardando para auxiliá-los.

#VemPraJaeger

Fontes:

https://www.zappro.com.br/saiba-importancia-da-escritura-e-registro-de-imoveis-e-oriente-seu-cliente/

http://casaeimoveis.uol.com.br/tire-suas-duvidas/leis-e-direitos/e-muito-arriscado-comprar-um-imovel-sem-escritura-quais-problemas-posso-enfrentar.jhtm

https://www.konkero.com.br/financiamento/casa-propria/confira-6-situacoes-que-deixam-o-seu-imovel-irregular-e-saiba-como-resolve-las

Dicas de conservação do seu imóvel

Imóveis sempre foram uma ótima forma de investimento, seja para morar ou obter renda por meio de aluguel. Mas com a ação do tempo e de outros fatores físicos, podem apresentar alguns desgastes e comprometer sua usabilidade e até mesmo seu valor de mercado. Por isso, é fundamental cuidar de seus imóveis da melhor maneira possível, mantendo sua estrutura e acabamento limpos e funcionais. Confira a seguir algumas dicas essenciais que separamos para você conservar seu imóvel e deixá-lo sempre com aquele aspecto de novo.

Pintura

A primeira impressão é sempre a que fica, e essa máxima é totalmente válida no caso de imóveis. A limpeza de superfícies pintadas deve ser feita com apenas água e sabão, evitando aqueles produtos à base de álcool e outras substâncias fortes, que acabam desbotando e danificando a tinta. A indicação é a de refazer toda a pintura da casa a cada três anos.

Elétrica

Mantenha sempre limpos quadros e outros equipamentos elétricos, não se esquecendo nunca de desligar a chave geral antes de qualquer coisa, para evitar acidentes. Quaisquer problemas na instalação elétrica devem ser resolvidos por um profissional qualificado e de confiança – indicação de que sejam feitas manutenções preventivas de tempos em tempos. No caso de construções mais antigas e que podem apresentar problemas elétricos, pense em revisar ou até substituir a fiação da rede elétrica.

Com relação a disjuntores, se houver queda dos mesmos, fique atento, pois eles são os guarda-costas do imóvel e é sinal de que algo errado está acontecendo e deve ser avaliado por um profissional qualificado.

Hidráulica e Esgoto

Item que mais gera problemas nos imóveis, em especial em apartamentos, a parte hidráulica do imóvel merece atenção especial. No primeiro sinal de umidade ou vazamento, solicite a vistoria de um profissional para reduzir custos e dores de cabeça futuros como infiltrações. Verifique sempre a situação das torneiras e registros.

Ralos, sistemas de descarga e esgoto devem ser limpos e inspecionados periodicamente para evitar entupimentos e a obstrução de passagem.

Rejuntes

Cuidar dos rejuntes de pisos, azulejos, lavatórios e bacias sanitários, além de contribuir para um aspecto mais agradável, ajuda a evitar infiltrações, que podem se tornar uma grande dor de cabeça para seu imóvel. Indicação de manutenção uma vez por ano, e no meio tempo, limpe com água, detergente e sabão neutro, evitando produtos que contenham química pesada.

A troca de rejunte também é indicada, pode haver remoção total dos rejuntes através de raspadores específicos para esta prática e posterior limpeza e novo rejuntamento.

Pisos e Revestimentos

Este é outro item cuja boa conservação contribui em muito para a beleza e valorização do imóvel, além da manutenção diária e semanal, a indicação é a utilização periódica de produtos específicos para uma limpeza mais pesada que remova eventuais acúmulos de resíduos ou manchas. Evite o contato com substâncias ácidas ou abrasivas que possam danificar o piso ou revestimento.

No caso de peças quebradas ou trincadas é indicada a substituição das mesmas, para manter um ambiente com bom estado de conservação, por isso a dica de sempre guardar algumas peças para quando necessitar fazer a troca, manter a mesma tonalidade e dimensão das peças substituídas com as já existentes.

Cobertura e Calhas

A revisão da cobertura auxilia na manutenção de toda a estrutura do seu imóvel, evite telhas quebradas ou mal encaixadas, isso impossibilitará goteiras e danos em forros ou lajes.

As calhas devem ser limpas periodicamente para evitar o acúmulo de folhas e sujeiras, assim não impedirão a passagem da água da chuva, evitando problemas de infiltração ou goteiras.

Jardins e Espaços Externos

No caso de casa com terreno e espaços para jardim e cultivo de árvores, a indicação é por plantas de fácil manutenção. Mantenha a poda regular de árvores e a manutenção de gramados e jardins. O jardim será o primeiro a ser visto ao chegar ao seu imóvel, é o seu cartão de visitas.

Faça manutenções periódicas no seu imóvel, toda e qualquer manutenção feita fará com que o mesmo seja valorizado, tenha maior durabilidade e evitará gastos adicionais no futuro, além, é claro, de manter um bom aspecto visual.

 

Fonte: http://www.meuprecon.com.br/blog/5-dicas-para-conservar-seu-imovel/

6 coisas que você precisa saber sobre Herança

heranca_-um-assunto-dificil-mas-que-precisamos-abordar-1

Este é um assunto sobre o qual praticamente ninguém gosta de falar, mas sua importância é enorme, pois é justamente nos momentos de maior sensibilidade que uma família precisa resolver os documentos da herança. Existem várias questões a serem levadas em consideração sobre o tema: quem são os herdeiros? Como deixar um testamento? Sobre quais bens eu posso dispor livremente no testamento? Preparamos abaixo algumas questões que ocorrem com maior frequência. Mas lembre-se: essas questões devem ter sempre o acompanhamento profissional do seu advogado.

1)   Sucessão de bens

Primeiramente, vamos explicar sobre a sucessão de bens, que é a transmissão de bens móveis ou imóveis, após a constatação da morte ou ausência (desaparecimento) de uma pessoa. A partir desse momento, diversos efeitos jurídicos são gerados, pois a pessoa que morreu pode ter dívidas a pagar, créditos a receber, patrimônio a transmitir, entre outras questões. Normalmente, estas questões são resolvidas judicialmente, principalmente quando há menores de idade envolvidos. Se houver acordo entre herdeiros e nenhum interesse de menor de idade, é possível fazer esse mesmo procedimento de partilha nos cartórios.

2) Sem testamento

Não havendo testamento, a Lei determina quais serão os herdeiros naturais da pessoa que morreu. No Brasil, o cônjuge e os descendentes (filhos) são os herdeiros naturais. Se não houver filhos, mas netos, eles também herdam a parte que caberia a seus pais. Se não houver descendentes, herdam o cônjuge e os ascendentes (pais). No caso de não haver pais, mas avôs, esses herdam a parte que caberia aos pais. Na hipótese de indivíduos que morrem sem cônjuge, herdam descendentes e ascendentes, nessa ordem. Na falta dessas pessoas, herdam os irmãos e, na falta desses, parentes até o 4º grau.

3) Partilha da herança

A partilha é complexa porque depende do regime de bens, de haver casamento ou união estável, filhos em comum, bens só do falecido ou de ambos, etc.

Geralmente é feita por cabeça, de acordo com as pessoas aptas a herdar. Se só existirem filhos, cada um deles receberá a mesma parte do patrimônio. Se houver cônjuge, ele normalmente tem direito à metade do patrimônio do casal, a depender do regime patrimonial do casamento (comunhão total ou parcial de bens, separação total etc.).

O cônjuge que sobrevive tem direito a ficar com a casa em que morava com o falecido. Se o valor da casa exceder a parcela a que o cônjuge tem direito sobre a herança, será necessário pagar o excedente aos demais herdeiros.

4) Como funciona o testamento

Se houver herdeiros necessários, a pessoa só poderá dispor uma parcela de seu patrimônio em testamento. A outra parcela, chamada “legítima”, deverá ser repartida, necessariamente, entre os herdeiros naturais (descendentes, ascendentes e cônjuge). Só será possível afastar essas pessoas do recebimento da herança em casos bastante específicos, como na deserdação por indignidade.

Se houver apenas um cônjuge como herdeiro, a legítima recebe a metade da herança. Ou seja, se o patrimônio total do indivíduo for de R$ 500.000, apenas R$ 250.000 podem ser designados de acordo com a vontade da pessoa que morre. Os outros R$ 250.000 cabem, necessariamente, ao cônjuge. O mesmo ocorre quando não há cônjuge e o falecido deixa apenas um filho.

Se houver filhos e cônjuge, a legítima é de dois terços da herança. Ou seja, sobra um terço da herança para dispor livremente. O mesmo ocorre quando há somente filhos, caso em que a legítima será de dois terços e a quota disponível será de um terço.

5) Como fazer um testamento

Atualmente, as formas de testamento mais comuns são: o público (feito em cartório), o cerrado (literalmente, selado até o momento de sua abertura) e o particular (que pode ser escrito de próprio punho ou mesmo em computador, desde que com a assinatura de três testemunhas). Da mesma forma como foram feitos os testamentos, eles podem ser desfeitos (revogados). Desde que a pessoa esteja em pleno exercício de suas capacidades mentais, é possível mudar de ideia acerca da parcela disponível de seus bens, nomeando novos herdeiros e realocando a destinação de seus bens.

6) Dívidas e créditos do falecido

Dívidas e créditos devem ser contabilizados no momento de inventariar o patrimônio deixado pelo falecido. Somam-se todos os bens, o que inclui créditos e outras aplicações financeiras. Desse valor, subtraem-se todas as dívidas deixadas. Se essa quantia exceder o valor dos bens, não há como cobrar dos herdeiros o excesso. As pessoas somente herdam o valor que excede as dívidas do falecido, não seus débitos.

Por isso, um procedimento de inventário e partilha de bens deve levar em consideração todos os bens, créditos, débitos e finanças do falecido, para que só seja realizada uma partilha no final do procedimento. Durante esse processo, um dos herdeiros é chamado para administrar estes bens. Se não houver herdeiros, o juiz pode nomear um administrador para eles.

Se você ainda tem dúvidas, venha até a Imobiliária Jaeger. Nós podemos indicar advogados que são nossos parceiros profissionais, capacitados para lhe auxiliar.

#VemPraJaeger

Fonte: https://financaspessoais.organizze.com.br/tudo-o-que-voce-procurava-sobre-heranca/

 

MANUTENÇÃO EM CONDOMÍNIOS NOVOS

Manutenção Condominal (2).png

As manutenções nos condomínios oneram bastante os seus moradores, mas você sabia que estes gastos podem ser consideravelmente diminuídos? Basta que o síndico ou a administradora de condomínios realizem a manutenção preventiva. Esta prática pode reduzir em até 40% os custos de reparo, além de, em certas ocasiões, evitá-los por completo.

Se você for morar em um apartamento recém construído, fique atento, pois a empresa responsável pela construção deve dar garantias contra vícios e defeitos de construção, que podem chegar a cinco anos, a contar da data de entrega do prédio ou da certidão do habite-se. Verifique com sua administradora ou síndico se este prazo está vigente.

Vale observar que as garantias são executadas apenas se o problema não for causado pelos condôminos, portanto, é necessário cuidado ao executar qualquer tipo de instalação ou obra (contrate profissionais de confiança e certifique-se de que as alterações desejadas são permitidas). Caso as manutenções sejam executadas de maneira efetiva, as garantias serão executadas, se estiverem dentro do prazo.

Se você já comprou um imóvel, pense sobre isso. Se você ainda não comprou um imóvel, não hesite: Spazzio Único.

Procure-nos. Temos uma equipe de Gestão de Condomínios preparada lhe ajudar. #VemPraJaeger.

Referência: http://www.sindiconet.com.br

Precisa alugar um imóvel comercial? Confira nossas sugestões e evite problemas.

dicas-para-alugar-um-imovel-comercial-1

1 – Saiba sua necessidade de espaço físico.

Conhecer a estrutura do negócio que você pretende montar, bem como a previsão de crescimento para os próximos anos, é essencial para escolher a melhor localização para o mesmo. Inclua na necessidade de espaço físico, o estacionamento, conforme o tipo de negócio que você vai abrir.

2 – Veja diversos possíveis pontos.

Antes de tomar sua decisão final você deverá olhar diversos pontos comerciais. Ao procurar por diversos locais você tomará conhecimento dos preços praticados na região, bem como dos imóveis disponíveis.

3 – Esgote todas as possibilidades

Esta dica é complementar a anterior e está aqui para enfatizar a necessidade de fazer uma busca minuciosa por pontos disponíveis.

Em algumas atividades e cidades, o aluguel pode ser a diferença entre ter um negócio lucrativo ou não. Então tenha paciência, procure por todos os imóveis possíveis e certamente você fará o melhor negócio possível dentro da sua região de atuação.

Por exemplo, para montar uma loja de roupas, que depende em grande parte da localização. Uma vez definido a região, procure por todos os pontos comerciais disponíveis, anotando detalhes como metragem, necessidade de reforma, preço do aluguel, prazo de contrato, estacionamento e demais exigências do proprietário do imóvel.

De posse de todas estas informações fica mais fácil escolher o melhor ponto disponível.

4 – Negocie possíveis reformas antes de locar.

Dependendo do ponto comercial e de quanto aquecido ou não está o mercado imobiliário, você pode solicitar a imobiliária que entre em contato com o proprietário do imóvel e desconte o valor da reforma inicial no aluguel do imóvel. No mínimo você pode usar o valor que você gastará para adequar o imóvel as suas necessidades como argumento na negociação do contrato.

5 – Identifique as despesas

Tenha consciência dos gastos que ficam a cargo do inquilino como aluguel, IPTU, seguro anual contra incêndio, condomínio, taxas de luz e água para evitar complicações e gastos que não estavam no planejamento.

6 – Controle o risco do contrato

Evite contrato de aluguel com prazos muito extensos, opte pelo prazo de um ano. Logicamente se não há pontos disponíveis no local e você confia na atividade em que pretende iniciar, que a mesma será duradoura, você pode optar pelo contrato maior.

Mas em caso de você precisar mudar de local ou por algum motivo o negócio não prosperar, um contrato muito prolongado pode prejudicar naquele momento.  Ao iniciar um negócio você deve manter as coisas o mais flexível para que faça o que for preciso para gerar lucro.

7 – Não escolha o imóvel pelo locador

Algumas pessoas decidem alugar um imóvel pela pessoa e não pelo imóvel. As vezes ouvimos um ou outro dizer: “Preferi locar o imóvel do Sr. João, pois já o conheço a muito tempo”. Não tenha a falsa ilusão de segurança apenas pela confiança passada pelo locador. Tudo pode acontecer. Como por exemplo, o ponto alugado receber uma proposta irrecusável de compra.

8 – Documente o estado inicial do imóvel

Contratos feitos pela imobiliária vem com a vistoria completa do imóvel, mas é sempre bom o inquilino conferir, documentando com fotos e um checklist os problemas iniciais, poderá evitar aborrecimentos e gastos adicionais quando da entrega do imóvel ao locador. Documente tudo, funcionamento de fechaduras, trincas, infiltrações, estado do piso, etc. O pequeno tempo gasto para isto vale cada minuto. Disponibilize duas vias você fica com uma e a outra repasse a imobiliária. Se você ainda tem dúvidas, venha até a Imobiliária Jaeger, pois contamos com uma equipe preparada para auxilia-lo a tomar a melhor decisão.

DICAS PARA OS PROPRIETÁRIOS

DICAS AOS PROPRIETÁRIOS.png

DICAS AOS PROPRIETÁRIOS PARA UMA LOCAÇÃO SEM PROBLEMAS FUTUROS

Na hora de alugar seu imóvel, você deve estar atento a uma série de detalhes, para não ter problemas futuros:

  • Entregar o imóvel em condições de uso;
  • Responder por problemas anteriores à locação;
  • Fornecer à imobiliária descrição minuciosa do estado do imóvel, antes da locação;
  • Fornecer recibo discriminado à imobiliária (condomínio, impostos, luz, água, ou dívidas pendentes);
  • Pagar as despesas extraordinárias de condomínio, tais como reformas ou acréscimos que envolvam a estrutura integral do imóvel, pintura de fachadas, paredes laterais, poços de ventilação e iluminação e esquadrias externas, obras destinadas a repor condições de habitabilidade da edificação, indenizações trabalhistas e previdenciárias decorrentes de dispensa de funcionários ocorridas em data anterior à locação, instalação de equipamentos de segurança, de incêndio, telefonia, intercomunicação, esporte e lazer, despesas com decoração e paisagismo de áreas comuns e contribuição para fundo de reserva.
  • Procure uma imobiliária de sua confiança eles terão profissionais capacitados para solucionar os problemas relacionados a locação do seu imóvel.

Nós podemos ajudar, procure-nos!!!