Umidade no inverno: não precisa secar as paredes com toalhas ou papel, apenas areje o ambiente.

Paredes mofadas, bolhas na pintura e roupas com bolor são consequências da umidade, uma das características do inverno gaúcho que não poupa quase nenhuma residência. Certo que a influência das massas de ar polar, mais secas, ajudam a balancear mas não há fórmula mágica para deixar a casa seca durante o inverno.

Pensando na praticidade do dia a dia, este post vem com algumas dicas para auxiliar você a melhorar esta situação no seu imóvel.

Banheiro:

O banheiro é um dos principais afetados quando o assunto é a umidade. Geralmente, o teto fica escuro devido ao mofo. Outro problema são os rejuntes dos azulejos, que também podem acumular fungos. A principal forma de evitar o aparecimento desses inquilinos é ventilar o ambiente. Depois do banho, abra a janela do banheiro para sair o vapor, assim como a porta.

Quem não tem janela no banheiro deve contar com exaustores para tirar a umidade e, de preferência, manter a porta do banheiro aberta o maior tempo possível. Secar as paredes com toalhas ou papel não é necessário.

Caso o mofo apareça, deve-se imediatamente limpá-lo, ou ele pode se espalhar nos rejuntes e no teto. Utilize uma esponja macia com água e sabão neutro. Nos rejuntes dos azulejos, a mesma fórmula funciona. Alvejante e cloro podem ser usados, mas se corre o risco de deixar a superfície amarelada.

Quando o mofo impregnar no material, será necessário tomar medidas mais drásticas, como descascar, lixar e passar produtos impermeabilizantes. Usar tinta antimofo também é uma boa opção.

Cozinha:

Ao cozinhar, o vapor das panelas pode tomar conta do ambiente, principalmente os espaços próximos do fogão. O ideal é deixar as janelas da cozinha sempre abertas durante os processos de cozimento.

Quando o bolor aparecer nas paredes ou azulejos, siga os mesmos procedimentos usados no banheiro – de preferência, uma esponja com água e sabão neutro. Tinta antimofo pode ser usada na casa toda e é uma boa indicação.

Ventilação e iluminação:

Esse é o lema contra a umidade. Abra as janelas da casa e deixe o ar e o sol circular pelas peças pelo menos duas vezes por semana. Assim, há menos chances da umidade se acumular e de aparecerem bolhas, mofos e manchas em sua casa. Não deixe tudo fechado por estar frio.

Para auxiliar no processo, a dica é usar um ventilador nas peças úmidas. Outra boa opção é ligar o ar-condicionado como desumidificador. Com relação as estufas, não é indicado utilizá-las no banheiro, pois a umidade pode levar a curtos-circuitos e gerar acidentes.

Roupas:

Os guarda-roupas fechados em ambientes úmidos podem ocasionar mofo nas peças. Pelo menos duas vezes por semana, é indicado abrir todas as portas do armário por algumas horas para ventilar. Mexa nas roupas e mude os cabides de lugar para ajudar a circulação de ar. Cuidado para o sol não bater diretamente, pois pode desbotar as peças. Dentro do guarda-roupa, deixe um recipiente desumidificador de ambientes (disponível em supermercados).

Se o mofo aparecer, use um pano com vinagre ou álcool para retirar a mancha. Depois, lave normalmente.

Em casacos de couro, a dica é passar uma camada fina de cremes hidratantes ou produtos que dão brilhos em móveis. Assim, há menos chance do mofo conseguir se acumular. Outro cuidado importante é com os perfumes. Não guarde roupas com a fragrância no armário, pois podem estar levemente úmidas e amarelar. Já para secar as roupas no inverno, não há mágica. Estenda no lugar da casa com mais luminosidade possível, geralmente próximo a janelas.

Paredes:

A umidade não ocorre somente nos locais tradicionalmente úmidos, como banheiro e cozinha. Muitas residências sofrem com bolhas e mofo nas paredes das salas e dos quartos. Isso pode ocorrer devido à má impermeabilização no momento da construção, à pouca iluminação ou à falta de ventilação. Se as primeiras bolhas aparecerem, é possível estourá-las e pintar novamente a parede para manter mais um tempo em boas condições – um modo paliativo. Da mesma maneira, o mofo pode ser limpo com esponja, água e sabão neutro em primeira instância – não utilize produtos químicos porque pode-se manchar ainda mais o espaço. Caso o bolor fique impregnado ou as bolhas se multipliquem, é necessária uma intervenção mais drástica.

Uma boa dica é usar texturas na parede, pois demoram mais a deixar a umidade tomar conta e, às vezes, duram por anos.

Tapetes e cortinas:

Se em sua casa bate pouco sol e não há muita ventilação, remova os tapetes. Esses acessórios podem ficar molhados e ajudar no acúmulo de fungos e bactérias. Para não sofrer com a umidade, fuja das cortinas de tecido e opte por persianas.

Fique atento:

O inverno é um período chuvoso e, em função disso, as casas ficam mais suscetíveis a vazamentos. Fique atento a telhas e calhas quebradas em casa e faça uma revisão mensalmente. Muitas vezes, o problema está relacionado com água acumulada em tetos e paredes, e não somente com a umidade do ambiente.

Dicas caseiras que podem funcionar:

– Um saquinho de cravos dentro do armário ajuda a evitar o mofo

– Giz de quadro-negro também pode ajudar a eliminar a umidade do guarda-roupa

– Suco de limão reduz o mofo no rejunte dos azulejos

– Vinagre ajuda a eliminar o bolor das roupas

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/noticia/2015/06/saiba-como-amenizar-os-problemas-causados-pela-umidade-em-casa-4787528.html

Anúncios

Decoração de interiores, um delicioso desafio.

 

Decorar um ambiente é sempre um delicioso desafio, mas não é algo simples pois exige muita atenção e cuidado com as escolhas. Defina seus objetivos para o ambiente, imagine como gostaria que fosse, escolha o estilo, arregace as mangas e mãos à obra.

Primeiro é fundamental escolher o estilo que melhor se encaixe no ambiente a ser decorado. Siga tendências, padrões e linhas, combinados com acessórios, iluminação e mobílias. Agora imagine tudo o que você escolheu junto ao mesmo tempo e em um mesmo ambiente.

Tente entender, descobrir e perceber os itens escolhidos que melhor combinam entre si, bem como a harmonia entre eles e o ambiente onde serão colocados.

E lembre-se, menos é mais! Ou seja, um ambiente com muitos itens decorativos ou móveis, passa uma sensação de sufocamento, falta de espaço, torna-se desconfortável, menos funcional e é mais propenso a estar desorganizado.

Escolha um item que será o foco das atenções no ambiente a ser decorado, pode ser a cama, um armário, a lareira, uma cristaleira, a mesa de jantar ou o estofado. Pense nas cores escolhidas e lembre-se que nem todas combinam entre si.   Uma boa dica é o contraste entre tons pastéis, que passam calma e tranquilidade, e cores vivas, que trazem boas energias e dão mais vida ao ambiente. Então, se as paredes, cortinas e pisos são claros, utilize motivos decorativos bem coloridos para dar sensação de amplitude, alegria e vida ao ambiente.

Pense em como o seu projeto vai ficar. Em quais posições estarão os móveis, quais cores serão utilizadas e aplicadas, o que pretende focar, qual iluminação utilizar… imagine tudo antes para depois não se perder no seu próprio estilo e comprar coisas desnecessárias.

É fundamental saber o tamanho dos ambientes da sua casa, para tanto, meça os cômodos que você pretende decorar, faça desenhos, rascunhos, e simulações sempre anotando tudo, pois isso vai auxiliar na hora de escolher os móveis e onde colocá-los.  

Tire as medidas das paredes considerando o pé direito, o tamanho das janelas e a posição das tomadas. Considere  também as medidas abaixo das janelas para não errar na escolha da altura dos móveis. Nas cozinhas banheiros tire também as medidas do sifão e das saídas e entradas de água e gás, isso pode evitar muita dor de cabeça depois.

Deixe sua casa mostrar mais de você! Use objetos que tenham a ver com o seu estilo para decorar os ambientes.

Peças compradas em antiquários ou viagens são uma ótima opção e até mesmo aquela cristaleira, criado mudo, baú ou balcão que era de sua avó podem ser repaginados com o uso de cores vibrantes para dar um novo destaque ao ambiente e a própria peça.

Pense também na natureza, pois consciência ambiental faz parte do cenário moderno. Nesse sentido, aproveite a iluminação e a ventilação naturais e aposte em soluções sustentáveis. Por exemplo: utilize objetos ou móveis fabricados com materiais reciclados, madeira de demolição, plástico ou vidros.

Mas se a sua intenção for começar do zero, separe tudo o que achar que deve ser descartado, livre-se dos itens decorativos e da mobília que não pretende mais usar pois um ambiente mais vazio facilita a visualização do espaço  disponível em casa e, por conseqüência, torna-se mais fácil  imaginar como ficará o novo ambiente.

Caso esteja achando difícil, existem aplicativos de celular voltados para decoração de ambientes e que podem ser muito úteis na hora de simular como ficará o ambiente após aplicadas todas as suas escolhas. Veja abaixo algumas dicas:

Em vez de papel e lápis, o Photo Measures dá a opção de tirar uma foto e anotar todas as medidas dos ambientes na tela do celular, evitando que você se confunda ou perca as anotações e é compatível com iPhone, iPod touch e iPad.

Já o Coral Visualizer auxilia na hora de escolher as cores para suas paredes, inclusive combinando com os móveis que você tem.

O ColorSmart é um aplicativo no qual você coloca fotos do ambiente que quer pintar e então, virtualmente, pode testar uma infinidade de cores, até encontrar a que melhor combine como o seu espaço; pode ser baixado gratuitamente para iOS.

E, para trazer boas energias, o aplicativo Feng Shui Bagua Map explica como usar o Feng Shui e a melhorar a harmonia e energia dos espaços interiores.

Quer saber mais? Visite sempre nosso blog, pois a cada semana temos novidades que lhe ajudarão a transformar a sua casa na casa que você sempre sonhou.

#VemPraJaeger